Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

Ciclo de estudos discute infância na Grécia Antiga

Atividade aberta e gratuita do Grupo de Estudos do Mundo Antigo (Gemuna) continua na quarta-feira, 19, com palestra sobre a Antiguidade Tardia

© by Ana Paula Abrão

O Grupo de Estudos do Mundo Antigo (Gemuna) iniciou na noite desta segunda-feira, 17, as palestras do ciclo de estudos clássicos para o semestre. A primeira apresentação trouxe ao auditório da Escola de Formação de Professores e Humanidades a profa. dra. Luana Neres de Sousa, pesquisadora que alia em seus estudos suas duas formações acadêmicas: a trajetória completa nos cursos de graduação, mestrado e doutorado em História e a graduação em Pedagogia.

“Depois de ser mãe eu me interessei mais pelos estudos da infância e isso passou a estar presente também nas minhas pesquisas”, explica. A palestra Brephos, paidion e pais: uma análise sobre a criança em Athenas no Período Clássico é um dos desdobramentos do trabalho de conclusão de sua licenciatura em Pedagogia, onde, com o olhar já experiente de pesquisadora, buscou identificar se o senso comum sobre a criança vista como um “mini adulto” na Grécia Antiga fazia sentido a partir de registros filosóficos e em cerâmica datados dos séculos 4º e 5º Antes de Cristo. “Na verdade, as obras mostram que eles tinham sim dimensão da infância, do infantil, sobretudo para os meninos, os homens. Minha pesquisa vem trazer outra visão para essa questão da concepção da infância na Athenas clássica”, frisa.

As discussões devem continuar na quarta-feira, 19, quando o prof. dr. Dominique Vieira C. dos Santos ministrará a palestra Intercâmbios e conexões entre a Britannia e a Hibernia na Antiguidade Tardia: evidências a partir das ogham stones bilíngues/biliterais, também às 19 horas no auditório da EFPH. “Nesta edição do ciclo, quisemos trazer pesquisas sobre Roma e a Grécia na Antiguidade”, explica o coordenador do curso de História, professor Ivan Vieira Neto.

Foto: Ana Paula Abrão

Assim como as palestras, a participação no grupo de estudos também é aberta e gratuita, sendo elegíveis acadêmicos de graduação de qualquer curso e instituição e pessoas da comunidade interessadas em estudos sobre o mundo antigo. “É um grupo que se debruça sobre a história antiga a partir de fontes históricas, clássicos da literatura ou bibliografias contemporâneas que falam do mundo antigo”, pontuou o coordenador e aniversariante do dia, que recebeu do grupo de orientandos e pesquisadores do grupo uma série de surpresas antes da atividade. “Eu só tenho a agradecer. Posso abraçar todo mundo?” [foto].