Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

Universidade integra atividades do Viva a Praça Cívica

Iniciativa visa o resgate da praça como espaço de integração e recreação da população goianiense

O domingo, 7, foi de diversão e aprendizado para as milhares de crianças, adolescentes e adultos que participaram do projeto Viva a Praça Cívica. A iniciativa da nova gestão estadual foi concretizada, nesta edição, em parceria com o Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) e suas instituições apoiadoras como a PUC Goiás, que neste ano integra a equipe formativa do Programa Educacional Bombeiro Mirim (Proebom).

A partir da integração entre instituições, o público teve acesso a atividades recreativas, esportivas e culturais como tirolesa, escalada, pula-pula, apresentações de dança, canto, além de espaços de aprendizagem sobre os temas mais variados, desde segurança no trânsito e combate a incêndios até a educação nutricional e ambiental, onde atuou o Programa Socioambiental (Prosa) da universidade.

No estande que contou com a participação de professores e acadêmicos estagiários e voluntários da universidade, vários jogos e brincadeiras voltados para a conscientização da importância de cuidar de si e do planeta. “Eu brinquei de tudo aqui já. Estou acostumado a separar o lixo direitinho, mas foi interessante jogar. Aqui tá bom demais hoje!”, exclamou o jovem Ézio Bento, 11, que foi levado ao evento pelo pai, que é bombeiro. Enquanto o pai trabalhou ele aproveitou para circular no espaço e acabou descobrindo no estande do Prosa um lugar para passar boa parte da manhã, se destacando nos jogos e ganhando até mesmo a medalha de primeiro lugar na Patrulha do Resíduo, uma das atividades.

Enquanto Ézio se destacava na disputa de conhecimentos sobre resíduos sólidos, a mãe de um dos bombeiros mirins aproveitava com seus três filhos o jogo da memória sobre alimentação saudável. Denúsia Camargo, 33, acompanhou o conhecimento dos filhos Valentina, Caíque e Felipe sobre os alimentos e incentivá-los, com a ajuda dos professores e voluntários, a comerem melhor. “Achei muito bacana a parte alimentar. Às vezes, a gente fala e eles não dão tanta moral. Entendem que é importante, mas ficam fazendo jogo duro. Com os outros de fora falando eu percebo eles reagindo de outra forma, percebendo que o discurso não é só coisa de mãe, mas que é algo que vai ser importante para eles”, comentou ela, enquanto os filhos ganhavam frutas a partir dos acertos.

“Como o público infantil já é trabalhado pelo programa há muito tempo, nos convidaram para também estarmos aqui hoje, trazendo oficinas”, explica a coordenadora do Prosa, professora Helaine Resplandes. “Ao longo dos anos, fomos desenvolvendo várias oficinas no âmbito da educação ambiental e alimentar, para atender um público amplo, desde crianças até adolescentes e adultos”, completa a professora Sarah Amado. No espaço, a equipe que atuou foi multidisciplinar, com acadêmicos dos cursos de Agronomia, Arquitetura, Direito, Engenharia Ambiental, Engenharia de Alimentos, Jornalismo, Medicina e Nutrição, além da Liga Acadêmica de Zoologia (LaZoo), com o projeto Tampatas, e voluntários da Nutrição, com o projeto Nutriguia.

O povo de volta à praça

Presente durante todo o evento, o governador Ronaldo Caiado comemorou a iniciativa como o retorno da população aos espaços públicos da cidade. “Nós vamos devolver Goiás aos goianos, podem ter certeza. Vamos fazer as pessoas voltarem a entender que o governador não é nada mais que um servidor público, a terem orgulho de morar em Goiás, a ocuparem os espaços, trazerem vida para as praças”, destacou.

O momento de abertura, que também contou com a presença de representantes do governo municipal e das casas legislativas municipal e estadual foi acompanhado da promessa de que a ação se estenda para outros espaços públicos na capital e no interior, fazendo com que, a partir de políticas públicas e ações culturais, as pessoas voltem a ter confiança, aos poucos, em utilizarem os espaços públicos que foram pensados e projetados para dar vida às cidades.

Bombeiros mirins

Iniciado em 1997, o projeto social Bombeiro Mirim atende crianças de 8 a 12 anos em Goiânia e diversas cidades do Estado de Goiás. Desde o início do ano, o projeto passa a contar com o apoio da PUC Goiás, que atua no apoio à formação das 150 crianças participantes em Goiânia. Acadêmicos dos cursos de Biologia, Direito, Letras e Matemática e voluntários dos programas de Direitos Humanos (PDH) e Em Nome da Vida (PNV) trabalham tanto em disciplinas tradicionais como em disciplinas transversais, como Ética e Cidadania, Direitos Humanos e Prevenção e Uso de Drogas.

Além das disciplinas, outros programas extensionistas, como Prosa, atuam no oferecimento de oficinas complementares de formação, como as de meio ambiente e nutrição que foram ofertadas no Viva a Praça Cívica. “Uma atividade como essa demonstra que estamos no caminho. A felicidade das crianças e dos adultos que passam por aqui nos dizem muito”, ressaltou a coordenadora de Extensão da universidade, professora Denize Daudt.

Em sua fala, o governador também ressaltou a importância do projeto e agradeceu o empenho e o brilho das crianças nesse momento de resgate do espaço público. “São quase 200 bombeiros mirins. Nós temos muito a agradecer”, frisou. Para o comandante geral do CBMGO, coronel Dewislon Adelino Mateus, a presença da corporação é, antes de tudo, algo que a engrandece em sua missão. “Para o Corpo de Bombeiros é uma honra estar na praça junto aos cidadãos”, ressaltou, frisando a gratuidade das atividades.

O reitor da universidade, professor Wolmir Amado, também esteve presente no evento e visitou os estantes da PUC  e das outras instituições parceiras do evento, parabenizando a ação. A expectativa é que outras edições do Viva a Praça Cívica ocorram ao longo do ano.