Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

Encontro Científico da Enfermagem discute Tecnologia e Segurança do Paciente

Equipe de Engenharia Clínica trouxe aparelhagem hospitalar utilizada em UTI: minicurso de capacitação teórica e prática para os futuros enfermeiros

© by Wagmar Alves

Um evento cuja temática é escolhida pelos próprios alunos, que cuidam de toda a organização, desde o contato com palestrantes, inscrições, escolha do espaço, controle de frequência, lanche, entre outros aspectos logísticos com apoio da coordenação do curso. Esse é o contexto do Encontro Científico dos Acadêmicos de Enfermagem da PUC Goiás, que neste ano, chega a 16ª edição, discutindo sobre Tecnologia e Segurança do Paciente. Para dar início à programação, que começou nesta quinta-feira, 22, e segue até amanhã, 23, na Área 4 (Praça Universitária), com programação nos três turnos, a universidade recebeu uma equipe de engenheiros clínicos, que ministrou minicurso intitulado Tecnologia Segura- Centro Cirúrgico e UTI.

Segundo o engenheiro clínico, Rafael Nunes, o intuito da palestra foi compartilhar as experiências da equipe na área hospitalar, incluindo o manuseio de equipamentos médicos e a vivência dentro dos estabelecimentos assistenciais de saúde, além de possibilitar aos estudantes um contato com a prática clínica, rotina que fará parte do cotidiano dos futuros enfermeiros. “Quando tiverem contato com os equipamentos, é uma oportunidade para lidar com eles, saber fazer uma higienização adequada e como proceder em um momento de risco, porque o aparelho está diretamente ligado ao paciente. Logo, é um curso voltado à segurança na saúde, ou seja, do paciente em si”, explicou.

Além da explanação teórica, a equipe liderada pelo engenheiro clínico Eber Rodrigues trouxe uma amostra da aparelhagem usada em uma Unidade de Terapia Intensiva. “Queremos mostrar a utilização do equipamento hospitalar, como funciona e os parâmetros básicos de funcionamento para que, num momento de utilização os estudantes não tenham medo ou risco de interagir com o equipamento, que é muito didático e simples de operar”, complementou o engenheiro Vinicius Souza.

A coordenadora do curso de Enfermagem, profa. Vanusa Leite, que prestigiou o minicurso, destacou a relevância do tema para a qualificação acadêmica, seja para o enfermeiro que irá atuar dentro de uma UTI, seja para preparar os alunos para as diversas patologias que terá que lidar. Tudo isso somado ao conhecimento sobre os avanços tecnológicos: “não adianta ser um bom enfermeiro se o profissional não estiver atualizado quanto à tecnologia. A segurança do paciente é um tema muito discutido e está inserido, obrigatoriamente, do primeiro ao último módulos do curso, porque o enfermeiro tem uma responsabilidade técnica e lida diuturnamente com o paciente”, ressaltou a gestora.

Representando os estudantes que estão na liderança da organização do evento, a presidente do Centro Acadêmico de Enfermagem, Déborah Gomes, destacou a proposta coletiva da iniciativa, que atende a uma demanda da comunidade estudantil. “Procuramos ser democráticos na escolha do assunto e a segurança do paciente foi um dos temas mais listados. Então conseguimos unir o tema, contemplando as inovações na área. Estamos felizes com a acolhida dos estudantes e com o apoio da coordenação”, declarou a estudante.

O evento também é aberto a estudantes de outras instituições de ensino superior. A programação completa pode ser conferida na página: http://ecaenf.com.br/