Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

Professora visita Centro de Documentação Digital Mawo

Coordenadora do PDH, profa. Denize Daudt, participa de imersão junto ao povo Ikpeng, no Mato Grosso

© by Arquivo Pessoal

A professora do curso de Jornalismo da PUC Goiás e coordenadora do Programa de Direitos Humanos (PDH), Denize Daudt Bandeira, participa, nesta semana, do intercâmbio com o povo Ikpeng e visita o Centro de Pesquisa e documentação da cultura Ikpeng – Centro de Documentação Digital Mawo, localizado na Aldeia Moygu do povo Ikpeng, no Parque Indígena do Xingu, no Mato Grosso.

Criado em 2009 pela Associação da Aldeia Moygu, esse Centro abriga uma base de dados digital bilíngue (língua Karib e Português) com registros de imagens, sons, vídeos e textos, produzidos pelos próprios Ikpeng e pesquisadores não indígenas.

Participaram da equipe de pesquisadores do projeto Ikpeng: a prof.ª Dr.ª Eliete Pereira, da Universidade do Estado de Minas Gerais /UEMG; o prof. Dr.Thiago Franco, da Universidade Federal de Goiás /UFG; a profa. Ma. Denize Daudt Bandeira, da Pontifícia Universidade Católica de Goiás/PUC Goiás e Fasam; a Dr.ª Aline Pascoalino, da Universidade do Estado de Minas Gerais /UEMG; Janete Mércia Pereira, do Ministério da Educação; Ian Dawsey, mestrando da Universidade de São Paulo; Pedro Paulo de Almeida, Bolsista PAPq/UEMG; Renan Yasuoka, Bolsista PAPq/UEMG; Karen Caixeta, estudante da UFG e Wildson Messias da Silva, estudante da UFG.

Do povo Ikpeng participaram: Tapanpo Ikpeng, Oreme Ikpeng, Kamatxi Ikpeng, Furiga Ikpeng, Luana Sapya Ikpeng, Yakuna Ikpeng, Kuyatapu Dunga Ikpeng, Powita Ikpeng.

Este intercâmbio entre pesquisadores (professores e estudantes bolsistas das universidades envolvidas) e o povo Ikpeng objetiva estudar essa experiência única no país de base de dados indígena e oferecer aos jovens da aldeia oficinas de audiovisual e de produção de rádio digital realizada pela equipe de pesquisadores, além de efetivar uma troca intercultural de saberes entre as universidades envolvidas e este povo indígena.

Também foi registrada a percepção por meio de oficinas de desenhos e conversas a percepção ikpeng a respeito do território e das alterações climáticas na região, fator de grande preocupação desse povo devido ao avanço da produção agrícola ao redor do Parque Indígena do Xingu.

Foram produzidos como resultados do intercâmbio, o primeiro programa da Rádio Mawo (formato podcast) e um minidoc realizado de modo colaborativo entre os participantes da oficina, registrando, assim, a produção e o conhecimento compartilhado.

O trabalho, desenvolvido durante três dias, consta de entrevistas e cantos com o povo Ikpeng. Material que está disponível em dois idiomas Português e Karib. No primeiro dia, foi realizada oficina de produção de rádio. No segundo, as gravações das entrevistas, além das locuções dos âncoras e das vinhetas. O processo de edição integrou o terceiro dias das atividades.

(Texto: Eliani Covem)