Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

Com proposta de mudança nas relações, comunicação não-violenta é tema de palestra

Evento foi realizado em parceria com a Coordenação de Assuntos Estudantis (CAE) da instituição

© by Jota Junior

Metodologia criada na década de 1960 pelo psicólogo Marshall Rosenberg e que chegou no Brasil há menos de uma década, a comunicação não-violenta (CNV) foi tema de palestra na noite desta segunda-feira, 11, na PUC Goiás. O evento foi realizado no Auditório 2 da Área 2, por meio de parceria entre a Coordenação de Assuntos Estudantis (CAE) da instituição e o Núcleo CNV Goiânia, fundado recentemente pela psicóloga Cida Oliveira, que atua na universidade.

De acordo com ela, a palestra, aberta ao público interno e à comunidade em geral, é o evento inaugural do Núcleo CNV Goiânia. “Poucas pessoas conhecem a metodologia”, aponta.

A psicóloga explica que a comunicação não-violenta propõe uma mudança de mentalidade nas relações. “Somos treinados para julgar, criticar, punir. O paradigma que norteia nossa forma de comunicação é o do certo e do errado”, enumera.

Cida explica que isso gera o que Marshall Rosenberg chama de “violência invisível”. “A CNV vê como violência tudo aquilo que magoa a mim e ao outro”, explica, frisando a necessidade de aprender os próprios sentimentos.

Além de apresentação da CNV, a psicóloga também contou com o auxílio da aluna de Psicologia Luciana Pacheco, acadêmica da PUC Goiás, para a realização de vivência e de uma situação de comunicação violenta.