Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

Estação Vida e Natureza incentiva preservação ambiental

Além da trilha encantada, visitantes assistem apresentações teatrais que abordam temas como violência, dengue e preservação

© by Ana Paula Abrão

Engajada na temática da Campanha da Fraternidade deste ano – Fraternidade e Superação da Violência, a Estação Vida e Natureza oferece diversos cenários para visitação do público durante a Jornada da Cidadania, que continua até amanhã, 26, das 8h às 18 horas, no Câmpus II. Além da tradicional trilha que adentra o Memorial do Cerrado, os visitantes têm contato com as plantas do bioma, depois assistem a um teatro de conscientização sobre a dengue, além de um filme com cenas do Cerrado degradado e conservado, estimulando uma reflexão sobre qual das duas situações o público pretende viver. Em novo espaço este ano, a estação está mais interativa e possibilita a imersão.

Depois de passar por esses ambientes, a próxima etapa se chama Que tiro foi esse e, no local, os participantes têm contato com uma cena de crime passional. Com a ajuda de monitores (caracterizados de peritos e delegados), as pessoas tentam desvendar quem foi o assassino. Ao lado, uma tenda da Polícia Científica, onde as pessoas podem obter mais informações sobre como é o trabalho da perícia.

Após essas etapas, já começa a tradicional trilha, que abriga a floresta encantada onde se encontram vários acadêmicos do curso de Biologia caracterizados de curupira, sereia, onça e tucano. Para a estudante Jakeline Soares Fortes, que atua como monitora na Jornada pela quarta vez consecutiva, conscientizar sobre a preservação da natureza é uma grande responsabilidade. “É bom quando percebemos que as pessoas estão receptivas a essa essência que trazemos a elas – este contato com a vida, com a natureza. É uma experiência enriquecedora para todos”, reflete.

As professoras Flor de Maria e Zilma Rosa já visitaram a Jornada em outras edições, mas ficaram encantadas este ano com o trabalho da Estaçaõ Vida e Natureza. “Os alunos puderam vivenciar muito que falamos em sala de aula”, explicaram elas, que estavam acompanhadas de 39 crianças de 9 e 10 anos. Entre elas, Yasmin Maia, que visitou pela primeira vez o Memorial do Cerrado. “Gostei muito daqui. Quero voltar!”, disse empolgada.