Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

Universidade recebe Seminário Marco Zero

Evento discute 49 pesquisas para o Sistema Único de Saúde

A PUC Goiás recebeu nesta segunda-feira, 21, o primeiro Seminário Marco Zero – Programa Pesquisa para o SUS/PPSUS realizado em Goiás. O evento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg) foi aberto nesta segunda-feira, 2, na Sala de Defesa na Área 4 da PUC Goiás.O seminário se estenderá até terça-feira, dia 22, das 8 às 18 horas. Nestes dois dias, os 49 pesquisadores doutores que tiveram seus projetos contemplados pela Chamada Pública nº 04/2017 da Fapeg no Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS) vão apresentar suas pesquisas para gestores e técnicos do Ministério e Secretaria Estadual da Saúde e da Fapeg.

O objetivo do seminário é promover a interação entre pesquisador, avaliador e gestor público na fase inicial das pesquisas para que sejam discutidos e sugeridos ajustes metodológicos, cálculo amostral, cronograma das atividades planejadas e as perspectivas de aplicabilidade dos resultados das pesquisas para o SUS. Serão repassadas orientações para condução das etapas do trabalho para a conquista de resultados expressivos e que atendam as reais carências dos usuários do Sistema Único de Saúde no Estado de Goiás.

O seminário foi aberto pela profa. Priscilla Valverde, coordenadora de Pesquisa da PUC Goiás, que deu as boas-vindas e falou sobre a importância da iniciativa de se implementar o seminário Marco Zero, uma ação recente que vai colaborar ainda mais para o sucesso do PPSUS.

Em seguida, a coordenadora Nacional do PPSUS no Ministério da Saúde, Marge Tenório, falou sobre a importância do programa que tem foco na prevenção e promoção da saúde. “Quando a gente faz ciência e tecnologia, a gente está antecipando aos problemas. Com o PPSUS estamos tentando resolver problemas locais, com pesquisadores locais, fortalecendo a pesquisa dentro da academia com olhar voltado para o SUS, promovendo soluções para as carências do serviço público no Estado.”

Ela solicitou aos pesquisadores, a divulgação da marca PPSUS, em suas publicações, seminários e nas salas de aula quando estiverem falando do projeto, para fortalecer ainda mais o programa.

Ela solicitou, ainda, aos coordenadores das pesquisas que busquem o engajamento de toda a equipe do projeto e de seus alunos em geral, estimulando-os a terem um olhar investigativo na busca de pesquisas com aplicação na saúde pública, lembrando que o Brasil tem uma grande diversidade de problemas em saúde pública. Destacou que “o SUS não é apenas o pronto-socorro, o hospital ou a assistência. É muito mais amplo. Estamos fortalecendo a ciência e tecnologia e temos que mostrar para a sociedade de que forma esse dinheiro está sendo empenhado, trazendo assim uma devolutiva”.

Representando o secretário da Saúde, Leonardo Vilela e a Superintendência de Educação e Trabalho para o SUS/SES, Kelly Santos, lembrou que o Seminário se traduz em um momento de contribuição, discussão e valorização das pesquisas ressaltando a importância da “parceria entre academia e gestores com o propósito de trazer devoluções contínuas, através de educação permanente para transformar a ciência em ações em prol da população. É esse o nosso trabalho.”

O diretor científico da Fundação, Albenones José de Mesquita, que representava a presidente, Maria Zaira Turchi, ressaltou a importância do Seminário Marco Zero que vai oferecer oportunidade para que gestores e avaliadores deem sugestões para o bom andamento das pesquisas. Lembrou que, após a aprovação inicial dos 33 projetos de pesquisa na chamada pública, a Fapeg investiu mais recursos para a contratação das 16 propostas que foram aprovadas em cadastro de reserva. Por ser um programa regular, o diretor lembrou que a cada ano cresce o número de propostas para o PPSUS, o que mostra que a comunidade científica em Goiás é altamente qualificada e tem reconhecido a importância do PPSUS. “A Fapeg tem um olhar bem focado, com uma visão estratégica para esse programa”, afirmou.

As pesquisas

Segundo o edital, as 49 pesquisas têm um prazo de 18 meses para serem concluídas. Estas pesquisas têm como objetivo contribuir para a qualidade do atendimento e aprimoramento das tecnologias utilizadas pelo Sistema Único de Saúde de Goiás na prevenção e promoção da saúde da população. São conhecimentos científicos produzidos com foco na Atenção à Saúde, Vigilância em Saúde e Gestão em Saúde.

O programa

O Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS) – Gestão compartilhada é uma estratégia aberta a pesquisadores que são convidados a apresentar projetos para apoiar e fortalecer o desenvolvimento de pesquisas que busquem soluções para as prioridades de saúde e promovam o fortalecimento da Política Nacional de Saúde/SUS, além de contribuir para aumentar a experiência e a produção científica dos pesquisadores locais. O programa é realizado por meio da parceria entre a Fapeg, o Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Secretaria da Saúde do Estado de Goiás (SES-GO).

(Assessoria de Comunicação Social da Fapeg)