Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

Aberto congresso internacional de Ciências da Religião

Programação segue até sexta-feira, 27, com pesquisadores brasileiros e a participação de universidades do Chile, Líbano e Colômbia

© by Jota Junior

Os problemas enfrentados pelos cristãos no Oriente, onde são minoria, foram abordados na conferência de abertura do IX Congresso Internacional em Ciências da Religião e da XVI Semana de Estudos da Religião da PUC Goiás, na noite desta terça-feira, 24. A primeira atividade dos eventos reuniu pesquisadores brasileiros e de outros países no Auditório da Escola de Formação de Professores e Humanidades (EFPH), no Setor Leste Universitário.

Até sexta-feira, 27, será debatido o tema Justiças, em uma programação que abrange conferências, mesas redondas e Grupos de trabalho (GT’s), com apresentação de comunicações. A realização é da linha de pesquisa Religião e Literatura sagrada, do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da universidade.

Reitor da Universidade Saint-Esprit de Kaslik (USek),  do Líbano, o padre Georges Hobeika foi o responsável pela conferência de abertura. “O Líbano tem uma grande comunidade cristã, mas que vive dificuldades por causa de perseguições. Sei as dores, os problemas dessa minoridade cristã no oriente frente à maioridade islâmica”, afirmou.

Segundo ele, nesse contexto, o cristianismo atua para que exista uma relação mais humana entre as religiões. Em Goiânia pela primeira vez, ele e sua comitiva foram recebidos com missa e encontro com gestores da PUC Goiás. As suas instituições mantém parcerias desde 2012.

Além dos conferencistas do Líbano, representante da Universidad Católica de Maule, no Chile, e da Universidad San Buenaventura, na Colômbia, falam aos participantes do evento.

Educação católica

O reitor da PUC Goiás, prof. Wolmir Amado, prestigiou a solenidade de abertura e, ao falar sobre a participação de pesquisadores estrangeiros no evento, ressaltou a presença da educação católica no mundo. São 1.800 universidades, sendo 250 na América Latina e 200 nos Estados Unidos e no Canadá. “Estamos congregados nesse sentido mais amplo de uma educação no mundo. Assim, me sinto muito honrado com a presença do padre George em nosso meio”, comentou.

Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa e da PUC Goiás, a profa. Milca Severino deu boas-vindas aos pesquisadores do Chile, Líbano e Colômbia e também aos graduandos e pós-graduandos que participam do evento. “Talvez seja uma experiência ímpar ouvirmos um reitor do Líbano trazendo mensagens sobre este tema escolhido para o debate. É uma singular oportunidade. Também poderemos dialogar com países do nosso continente, o que é especial para nosso programa”, afirmou.

Olhar crítico

Para o diretor presidente do Congresso e vice-diretor do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da universidade, prof. Valmor Silva, o tema do evento é adequado ao momento atual do Brasil. “Temos historicamente uma situação de injustiça, mas no momento histórico, político, social, particularmente se agrava mais esse assunto. Então, é hora de lançar um olhar crítico, propositivo sobre a situação. No caso, o olhar da Ciências da Religião”, reflete.

O pesquisador pondera que a religião pode dar uma contribuição fundamental para este debate, pois “move as consciências, trabalha no íntimo, nas convicções, nos valores das pessoas”.

Confira a programação completa do evento clicando aqui.