Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

Santa Casa de Goiânia recebe visita do líder dos hospitais filantrópicos no Brasil

Um dos maiores hospitais filantrópicos da Região Centro-Oeste, a Santa Casa de Misericórdia de Goiânia (SCMG) recebe nesta terça-feira (17), às 14 horas, a visita do presidente da Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hosp. e Entidades Filantrópicas (CMB) do Brasil, Edson Rogatti. Ele vem de Brasília a Goiânia para conhecer as instalações da SCMG e verificar as condições das demais filantrópicas em Goiás.

Pós-graduado em Administração Hospitalar, Edson Rogatti, também ex-vereador de Palmital (SP), comparece hoje à Santa Casa de Misericórdia de Goiânia para observar o modelo de administração do hospital. Só em 2017, a unidade efetuou 360 mil exames laboratoriais, 108 mil consultas médicas, 10 mil internações e 7 mil cirurgias, incluindo transplantes de órgãos.

Na avaliação da superintendente-geral da Santa Casa de Goiânia, a médica Irani Ribeiro de Moura, a visita do presidente da CMB ao hospital representa um marco para a integração entre as Santas Casas do Estado de Goiás e sua entidade-mãe, sediada na capital federal. “Não apenas as Santas Casas, mas todo o conjunto de 34 entidades filantrópicas de Goiás tende a se fortalecer com esse diálogo conjunto. Tenho certeza de que a CMB está sensível para ouvir os nossos pleitos e levá-los às mais altas instituições do País, buscando auxílio às entidades atuantes no terceiro setor”, diz Irani, que é pró-reitora de Saúde da PUC Goiás.

Em Goiás, os hospitais Santas Casas de Misericórdia estão presentes, além de Goiânia, nos municípios de Anápolis, Buriti Alegre e Catalão. O Estado possui atualmente em operação 34 instituições assistenciais, incluindo Santas Casas, hospitais e entidades filantrópicas. Oito delas estão distribuídas em Goiânia e outras 26, em municípios do interior.

A CMB detém a chancela de maior rede hospitalar do Brasil. São abrangidos pelo trabalho da entidade mais de 2 mil instituições, 16 federações e cerca de 600 mil profissionais das áreas da saúde e filantropia. (Texto Assessoria de Comunicação da Santa Casa de Misericórdia de Goiânia)