Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

Universidade recebe abertura da Semana de Direitos Humanos

Até dia 14 de dezembro, ampla programação debate desafios e resistências nessa área; ao final das atividades, um relatório sobre violações dos direitos humanos será entregue a autoridades goianas  

© by Wagmar Alves

Com bandeiras em mãos, cânticos e a declamação de seus lemas, movimentos populares que integram o Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduino abriram na noite desta quinta-feira, 30, a Semana dos Direitos Humanos em Goiás. A atividade que iniciou oficialmente o evento foi acolhida pela PUC Goiás, no Auditório da Área 3, com debate sobre os desafios e as resistência que permeiam essa área no atual contexto nacional.

Até 14 de dezembro, será realizada uma ampla programação, em vários espaços da cidade, e será divulgado um relatório sobre as violações dos direitos humanos no Estado.

O Programa de Direitos Humanos (PDH) da universidade foi convidado para integrar a abertura da Semana e, de acordo com sua coordenadora, profa. Denize Daudt Bandeira, abrir das portas para a iniciativa reforça o papel e a identidade da universidade. “A PUC tem uma história na defesa dos direitos humanos. O próprio PDH é um dos programas mais antigos da universidade, com mais de 30 anos”, exemplifica ela, docente da Escola de Comunicação.

A coordenadora citou ainda o encontro com dois parceiros do programa durante a abertura do evento: o movimento da população de rua e o Centro de Formação, Assessoria e Pesquisa em Juventude. “Nós unimos força, dentro daquilo que o próprio programa vem fazendo, reforçando uma posição de apoiar entidades voltadas para os diretos humanos e de pensar juntos políticas públicas”, afirmou, ressaltando o papel da pesquisa e da extensão nesse contexto.

Membro do PDH, a profa. Aline Borghi integrou a mesa de abertura da Semana e destacou as dificuldades de se debater direitos humanos no Brasil, hoje. “Há um estereótipo em que as pessoas passam a entender essas questões como algo relacionado há algum partido político, como se defender direitos humanos fosse algo de apenas uma sigla.”

Docente do curso de Relações Internacionais, ela explica que a área pensa “o Estado a partir de uma visão de como minimizar problemas que ele possa causa. Acima de Direitos Humanos, não pode ter nada.”

Discussão ampliada

Integrante da coordenação executiva do Comitê Dom Tomás Balduino, Ângela Cristina Ferreira, citou as dificuldades em se debater a temática dos direitos humanos e a necessidade de se resistir às violações à dignidade humana.

“Vamos, ao longo da semana, aprofundar o debate e discutir diferentes temáticas com vários olhares. Temos vivido uma gama de retrocessos no cenário social. Hoje, defender direitos humanos é defender a Constituição Federal”, explicou.

Outro ponto trabalhado durante a Semana de Direitos Humanos diz respeito à democratização da informação. Na abertura, Comitê lançou uma plataforma de comunicação em direitos humanos.  A ideia, segundo Ângela, é estimular veículos de comunicação a colocarem o assunto como pauta rotineira, e não apenas no mês de dezembro, quando no dia 10 se comemora o Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Programação

Até o dia 14 de dezembro, o Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduino vai realizar uma ampla programação de debates, atos públicos, mostra de cinema político, educação popular, rodas de conversa e a divulgação de importantes relatórios de violações dos direitos humanos em Goiás.

Para o dia 4 de dezembro, está agendada uma apresentação de 20 casos emblemáticos de violação dos direitos humanos no Estado, no Auditório do Salão Nobre da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Goiás (FD/UFG), a partir das 09 horas.

Já no dia 6 de dezembro, os casos serão apresentados no Auditório da Câmara dos Deputados, em Brasília, em audiência pública, a partir das 14 horas. No encerramento da Semana, no dia 14, um relatório sobre as violações será entregue a autoridades goianas, em evento no Auditório Costa Lima, a partir das 9 horas.

“Além de registrar, denunciar, dar visibilidade e escutar os sujeitos que sofrem essas violações e entregar esse grande relatório às autoridades. Queremos dizer aos responsáveis pela formulação de políticas públicas sobre as violações existentes”, ressalta Ângela Ferreira.

Veja abaixo a programação completa:

01/12

16h – Centro Cultural Caravideo

Lançamento do Relatório “Impacto das Políticas Econômicas nos Direitos Humanos e Devolutiva da Missão sobre a Situação Agrária em Goiás.

Relator: Sérgio Sauer (Plataforma Dhesca)

Debatedores: Ativistas da Comissão Pastoral da Terra (CPT); Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduino; Movimento dos Trabalhadores/as Rurais Sem Terra (MST); Movimento Camponês Popular (MCP); Federação dos Trabalhadores Rurais na Agricultura Familiar do Estado de Goiás (FETAEG); Federação dos Trabalhadores/as na Agricultura Familiar (FETRAF); Federação dos Trabalhadores/as Rurais Empregados e Assalariados de Goiás (FETAER).

19h – Miniauditório da Faculdade de Educação

Roda de Conversa: Direitos Humanos e Religiões

Debatedores: Flávio Sofiati (membro do Cajueiro e Professor da UFG);

Frei Marcos Sassateli (Padre das Comunidades Eclesiais de Base – CEBS);

Isaías Torquato (Reverendo da Igreja Anglicana); Hemanuelle Jacob (Feminista); Marcos Torres (Babalorixá Ilê Asé Fará Imorá Odé, Pesquisador das religiões de matriz africana).

Mediação: Walderez Loureiro Miguel (Comitê DH Dom Tomás Balduino)

02/12

19h – Vila Cultural Cora Coralina

Manifesto Mostra de Cinema Político na Semana de Direitos Humanos

Organização: Comitê DH Dom Tomás Balduino, Balaio Produções e Vietnam Filmes.

03/12

19h – Vila Cultural Cora Coralina

Manifesto Mostra de Cinema Político na Semana de Direitos Humanos

Organização: Comitê DH Dom Tomás Balduino, Balaio Produções e Vietnam Filmes.

04/12

9h – Auditório do Salão Nobre da Faculdade de Direito / UFG

Apresentação dos Casos Emblemáticos de Violações de Direitos Humanos em Goiás: População em Situação de Rua; Território Kalunga; Extermínio da Juventude Pobre e Negra; Desapropriação urbana de famílias de quatro bairros próximos ao Jardim Botânico; Criminalização dos Movimentos Sociais; Criminalização da Luta Popular (Luta contra as OSs, Militarização de escolas públicas e Mobilizações); Impactos da Mineração em Goiás; Sistema Socioeducativo em Goiás; Caso de tortura no Exército; Processo das OSs no Estado de Goiás; Portaria da Presidência da República de “legalização” do Trabalho Escravo no Brasil; LGBTs; Mulheres; Saúde; Educação; Escassez e falta de água; Impactos das Reformas Trabalhistas e da Previdência na vida dos goianos; Direito Humano à Alimentação Adequada.

Coordenação: Angela Cristina, Sergio Dias e Thiago Melo.

06/12

14h – Auditório da Câmara dos Deputados – Brasília.

Audiência Pública – Apresentação das Violações de Direitos Humanos em Goiás.

Organização: Comissões de Direitos Humanos do Senado Federal e Câmara Federal; Conselho Nacional de Direitos Humanos.

07/12

19h – Câmara Municipal da Cidade de Goiás.

Chá com Direitos – Tema: Direitos Humanos no Brasil Atual

Palestrante: Mauro Rubem (Presidente da CUT – GO e membro do Comitê DH Dom Tomás Balduino)

Coordenação: Aderson Liberato Gouveia (Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Câmara Municipal de Goiás).

08/12

9h às 11h – Praça Bandeirante

Ato Público – Nenhum Direito Humano a Menos em Goiás e no Brasil

09/12

8h – Rádio Universitária 870 AM

Debate no Programa Voz da Mulher sobre Direitos Humanos e Religiões: Gênero, Raça e Intolerância Religiosa

Debatores: Priscila Martins (Feminista do Coletivo Rosa Parks – UFG); Allan Hahnemann (Alabè Ilê Fará Imorá Odé, Prof. da UFG e Advogado, membro do Comitê DH Dom Tomás Balduino); Muria Carrijo Viana (Educadora Popular do CEBI e Pós Graduanda em Assessoria Bíblica)

Realização: Associação Mulheres na Comunicação

14h – Acampamento Leonir Orback do MST (Santa Helena de Goiás)

Roda de Conversa: Criminalização dos Movimentos Sociais

Facilitador: Prof. Diego Diehl

Organização: Núcleo de Direitos Humanos de Rio Verde e Região

16h – Sindicato de Trabalhadores Rurais de Mineiros.

Roda de Conversa: Declaração Universal dos Direitos Humanos e Desafios Atuais

Facilitadores: Dom Josias, Marta Brandão e José Antonio.

Organização: Núcleo de Direitos Humanos Marlene Furtado de Mineiros e Região

14/12

9h – Auditório Costa Lima da Assembleia Legislativa de Goiás

Agenda de Incidência em Goiás – Entrega do Relatório de Violações de Direitos Humanos às autoridades de Goiás: Governador de Goiás; Secretário de Segurança Pública; Secretária Estadual da Mulher do Desenvolvimento Social, da Igualdade Racial, dos Direitos Humanos e do Trabalho; Prefeito de Goiânia; Secretário Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas; Ministério Público; MP-CAO DH; Ministério Público Federal; Comissões de Direitos Humanos da Câmara Municipal de Goiânia e Assembleia Legislativa; Defensoria Pública Estadual.

Coordenação da Mesa: Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduino.

 

 

  • WA2_1465
  • WA2_1466
  • WA2_1479
  • WA2_1483
  • WA2_1485
  • WA2_1487
  • WA2_1490
  • WA2_1491
  • WA2_1493
  • WA2_1494
  • WA2_1495
  • WA2_1497
  • WA2_1500
  • WA2_1504
  • WA2_1506
  • WA2_1507
  • WA2_1510
  • WA2_1517
  • WA2_1518
  • WA2_1523
  • WA2_1525
  • WA2_1528
  • WA2_1531
  • WA2_1537
  • WA2_1540

Fotos: Wagmar Alves