Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

Formação com professores da rede municipal chega em fase final

Educadores e profissionais de assistência receberam curso de atualização com foco no enfrentamento às drogas e à violência

Está chegando ao fim o projeto piloto de capacitação com professores da rede municipal de ensino e assistentes sociais da Prefeitura de Goiânia. O curso, promovido na PUC Goiás pelo Programa em Nome da Vida (PNV), em parceria com as secretarias municipais de Educação e Esporte (SME) e de Assistência Social (Semas), teve sua última aula nesta terça-feira, 28, na Área 1 da universidade. A formação tem foco no enfrentamento às drogas e à violência no ambiente escolar.

“O curso vem como um desdobramento de projetos anteriores de eixos de trabalho do PNV, após essa demanda que trouxeram”, explica a coordenadora do PNV, professora Iracema Carvalho. Além de trazer embasamento teórico para os profissionais, a formação estimulou a participação e na reflexão dos professores. “Era algo urgente. Sabemos que a falta de orientação faz com que a problemática seja jogada cada vez mais para debaixo do tapete e isso traz consequências graves”, pondera a coordenadora.

Professora de jovens e adultos (EAJA) na rede municipal, Edmeire Plácito reforça que a atualização é mais uma aliada no trabalho de prevenção dentro das escolas. “É um tema extremamente relevante e nós periodicamente necessitamos de formações desse porte”, aponta.

Em seu pré-projeto, que será apresentado juntamente com os demais participantes da turma de 20 professores e funcionários da rede municipal, no dia 12 de dezembro, a professora apontará a importância da interligação do ensino com exemplos reais, do dia a dia. A apresentação dos pré-projetos deve ser acompanhada por representantes da secretarias, que poderão conferir as ideias propostas.

Após a conclusão do curso, que teve apoio da Gerência de Formação dos Profissionais da Educação (GerFor), da SME, novas turmas devem ser criadas com profissionais da Secretaria Municipal de Saúde. “A ideia é de trabalho em rede, formando multiplicadores”, lembra a coordenadora do PNV.