Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

Universidade sedia oficina regional da Abepss

Professores, acadêmicos de graduação e mestrandos do Serviço Social participam do evento que continua até amanhã, 29, no auditório da Área 1

© by Jota Júnior

A oficina regional da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social (Abepss) foi aberta na manhã desta quinta-feira, 28, no auditório da Área 1 (Setor Universitário), com a presença de representantes da Associação, docentes dos cursos de graduação e mestrado em Serviço Social da PUC Goiás, UFMT, UNB e UFG.

De acordo com a coordenadora do curso de Serviço Social da universidade, profa. Carmem Regina Paro, este evento ocorre em diversas regiões do Brasil e todas as universidades envolvidas são filiadas à Abepss, que é a instituição promotora dos debates nesta área do conhecimento. O momento é uma preparação para o encontro nacional que ocorrerá em novembro, em Niterói (RJ), na Universidade Federal Fluminense.

Suplente da Associação, a docente da PUC Goiás, Eleusa Ribeiro, destacou o objetivo das oficinas em aprofundar o conhecimento, articular, além de discutir as questões centrais do processo de formação na graduação e pós-graduação. “O Brasil é um país grande, então as diferenças estão aí impostas e estamos atualizando, discutindo e trazendo à tona muitas coisas que estão embutidas na nossa realidade”, pontuou.

A docente da UNB, profa. Miriam Albuquerque, que assumiu hoje a vice-presidência da Abepss, ressaltou sobre a relevância da construção coletiva do trabalho, já que um relatório da oficina regional será discutido e encaminhado à executiva nacional no mês de novembro. Diversos temas serão discutidos até amanhã, 29, último dia do evento, entre eles, o processo pedagógico da supervisão de estágio e a formação dos estudantes de Serviço Social; a articulação entre graduação e pós-graduação e as residências multiprofissionais.

A coordenadora regional de Pós-Graduação da Região Centro-Oeste da Abepss, profa. Isabel Lira refletiu, também, sobre o contexto atual das condições e relações de trabalho, como também a retração das políticas sociais na Educação, que afeta diretamente a área do Serviço Social: “o país vai ficar comprometido no seu processo de consolidação do conhecimento. Vivemos um impacto do corte de recursos, de reorganização dos programas. São considerados apenas critérios quantitativos que não levam em consideração a natureza das Ciências Humanas e Sociais” argumentou.

A primeira mesa-redonda do evento abordou a temática O capitalismo contemporâneo e suas novas estratégias para a mercantilização do ensino superior, com a presença das debatedoras, profa. dra. Sandra de Faria (PUC Goiás) e Janaína Duarte (UNB). No dia 29, a programação tem início às 9 horas e segue até às 12 horas e depois retorna às 14h e encerra às 18 horas. Todas as atividades ocorrem no auditório da Área 1 (Setor Universitário).