Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

Intolerância religiosa é tema de primeiro encontro entre voluntários

Núcleo de Estudos Africanos e Afro-brasileiros iniciou sua atividade nesta quarta-feira (27); encontros ocorrem mensalmente

© by Jota Junior

O Programa de Estudos e Extensão Afro-brasileiro (Proafro) da PUC Goiás iniciou nesta quarta-feira, 27, os encontros do Núcleo de Estudos Africanos e Afro-brasileiros, na Plenária da Sociedade Goiana de Cultura (SGC).

Para o primeiro debate, o Núcleo escolheu o tema Intolerância religiosa. “A intolerância e o fundamentalismo estão fortes. É um tema importante para discussão. É necessário compreender também as sutilezas. Às vezes, somos intolerantes e nem percebemos”, analisa a coordenadora do Proafro, professora Irene Dias de Oliveira.

Voltado aos alunos voluntários do programa de extensão, o núcleo também está aberto a estudantes, egressos e pessoas da comunidade em geral, com reuniões mensais. “A ideia do núcleo é promover a formação dessas pessoas, interessadas em debater questões ligadas a questões étnico-raciais”, explica.

Voluntária do Proafro e integrante novata do núcleo, a acadêmica de Direito Marcella Fernandes, 20, tem no grupo a expectativa de participar de debates que serão fundamentais para seu desenvolvimento acadêmico e pessoal. “São assuntos que me instigam bastante, já há algum tempo”, confessa ela, citando a apropriação cultural como um dos prováveis temas para seu Trabalho de Conclusão de Curso. “Quanto mais nós estudamos o tema, mais percebemos nossos próprios preconceitos”.