Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

PUC Goiás celebra centenário do Confaloni com nova exposição de seguidores do artista

Exposição estará aberta de 27 de setembro a 22 de novembro.

 

Com obras dos alunos e seguidores do Frei Nazareno Confaloni, artista italiano radicado em Goiás, morto em 1977, a PUC Goiás, por meio da Escola de Artes e Arquitetura, abre nesta quarta-feira, 27, a exposição A Escola do Frei – Exposição de talentos despertados na EGBA (Escola Goiana de Belas Artes), às 20 horas, na Galeria PUC, situada na Área 3, Praça Universitária. A exposição, que estará aberta a público até o dia 22 de novembro, dá continuidade às comemorações do centenário do religioso.

Estarão expostas 54 obras de 17 artistas, entre pinturas, desenhos, gravuras, esculturas e objetos, que remetem à influência de Confaloni em suas trajetórias como artistas e professores da área. A exposição reúne obras de Alfredo Faria, Amaury Menezes, Ana Maria Pacheco, Cirineu de Almeira, Dek, DJ Oliveira, Elder Rocha Oliveira, Elyesser Szturm, Evaristo Caetano, Iza Costa, Laerte Araújo, Neusa Baiocchi, Roos, Sáida Cunha, Silvio Freitas, Siron Franco e Virgínia Guimarães. Entre as obras, trabalhos acadêmicos, obras de arte contemporânea e até trabalhos inéditos, como os trazidos pela artista plástica Iza Costa. Apenas DJ Oliveira, que foi contemporâneo de Confaloni, também faleceu.  

Segundo a professora Nancy de Melo Pereira, curadora da mostra junto com a aluna de Design, Tainá Guimarães Coelho, o recorte da exposição mostra o caminho que eles percorreram a partir do curso de Belas Artes e da Arquitetura. “Alguns seguiram o caminho das artes e mostram a influência de Confaloni. Também vamos mostrar obras de arte acadêmicas, com percursos diferentes”.

A mostra permanece aberta até o dia 22 de novembro, das 9h às 12 horas e das 16h às 20 horas. O agendamento de visitas pelas escolas pode ser feito pelo telefone 3946-1361.

No primeiro semestre, a PUC Goiás realizou a exposição Centenário do Frei Confaloni em parceria com a Ordem dos Pregadores, na Galeria PUC. Foram expostas 46 obras do italiano, produzidas nas décadas de 1950, 1960 e 1970.

Biografia

Giuseppe Confaloni (Grotte di Castro, Viterbo, Itália, 1917 – Goiânia, 1977) foi um religioso dominicano que iniciou seus estudos em 1922, na Escola Elementar de sua terra natal. Em 1923, ele viu surgir os primeiros sinais de sua vocação religiosa. De 1927 a 1933 estudou em diversas escolas e conventos dominicanos. Em 1933, quando ingressou na Ordem Dominicana, em virtude da tradição da mudança do nome secular para o religioso, passou a chamar-se Nazareno Confaloni.

Dois anos depois reproduziu, em óleo sobre tela, a pintura de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, que se crê, seja uma de suas primeiras obras. Em 1950, em Roma, quando encontrou dom Cândido Penso, bispo de Goiás, recebeu um convite para realizar os afrescos da Igreja do Rosário. Em outubro já se encontrava no Brasil e em janeiro de 1951 deu início à pintura dos afrescos intitulados Os Mistérios do Rosário. Em dezembro de 1952 tratava da instalação da Escola Goiana de Belas Artes, que seria aberta no dia 30 de março de 1953, tendo como fundadores Luís Augusto do Carmo Curado, Henning Gustav Ritter e o próprio frei. Com a criação da Universidade de Goiás (hoje PUC Goiás), a Escola Goiana de Belas Artes foi uma das sete faculdades que se juntaram para a sua formação.

Em 1965, a Escola aprovou a criação do curso de Arquitetura e Urbanismo, que passou a oferecer vagas em 1966, sob a direção de Amaury Meneses, aluno da Escola. Frei Confaloni foi diretor do curso de 1967 a 1968. Produziu sempre, pintando diversos painéis em Goiânia e no interior, e realizou diversas exposições em Brasília, Goiânia e na Itália. A convite do professor Emílio Vieira, passou a integrar, em 1975, o Centro de Estudos Italianos, de Goiânia, ministrando aula de História da Arte. Preparava-se para participar da Mostra Itinerante da Arte Goiana na Europa, quando faleceu no dia 4 de junho de 1977.

Serviço

A Escola do Frei – Exposição de talentos despertados na EGBA (Escola Goiana de Belas Artes)

Exposição

Local: Galeria PUC – Área 3, Praça Universitária

Horário: 9h às 12 horas e 15h às 20 horas

Agendamento e informações: 3946-1361 (matutino e vespertino)