Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

Santa Casa recebe visita do Ministério da Saúde

Aproximação é uma das estratégias em busca da autossustentabilidade do hospital filantrópico, que hoje responde pelo maior número de atendimentos SUS em Goiás

© by Wagmar Alves

Em busca de sua autossustentabilidade, a Santa Casa de Misericórdia de Goiânia tem ampliado suas estratégias e fortalecido vínculos. Hospital filantrópico com maior número de atendimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Estado de Goiás, a entidade busca alternativas para a crise financeira que a prejudica. Entre as possibilidades, um novo empréstimo a caminho, o aumento dos atendimentos particulares e por plano de saúde e um acompanhamento mais próximo do SUS. Nesse sentido, o hospital recebeu no sábado, 16, a visita do secretário de Gestão do Ministério da Saúde, Rogério Abdala.

Recebido pelos gestores do hospital e pela reitoria da PUC Goiás, que tem na Santa Casa o seu hospital-ensino, Abdala conheceu os diferentes espaços do prédio e foi apresentado à realidade da entidade. “O objetivo era mesmo conhecer a Santa Casa de Goiânia e ver o que podemos fazer para ajudar. Espero ter boas notícias em breve”, frisou. A Secretaria Estadual de Saúde também acompanhou a visita.

Alternativas

Além da normalização de repasses e possíveis investimentos do Ministério da Saúde no hospital, que hoje tem como realidade 92% de sua receita no SUS, a Santa Casa acredita em um ajuste de modelo de negócios para conseguir operando com prioridade nos atendimentos SUS, mas de forma autossustentável. “Nossa expectativa é de conseguirmos uma reestruturação total. Estamos buscando várias alternativas para reverter esse quadro de hoje”, explica o superintendente geral do hospital e pró-reitor de Saúde da universidade, José Antonio Lôbo. A ideia é melhorar e aumentar os atendimentos particulares e por planos de saúde para investir a renda na manutenção, com qualidade, dos atendimentos SUS.

“Estamos fazendo o levantamento das dificuldades. A verba que devemos conseguir até outubro deve fazer com que a Santa Casa volte a funcionar a todo vapor”, aponta o superintendente técnico, Júlio César Nunes da Rocha.

A Santa Casa de Misericórdia de Goiânia completa, em novembro, 81 anos de atuação.

  • WA2_2429
  • WA2_2433
  • WA2_2452
  • WA2_2478
  • WA2_2490
  • WA2_2506
  • WA2_2515
  • WA2_2524
  • WA2_2529
  • WA2_2566
  • WA2_2569
  • WA2_2573
  • WA2_2577
  • WA2_2582
  • WA2_2584
  • WA2_2589
  • WA2_2597
  • WA2_2601
  • WA2_2611
  • WA2_2621

Fotos: Wagmar Alves