Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

Modernidade e tradição no Quilombo Cultural

Localizado no Memorial do Cerrado, espaço faz conexão entre culturas negras rurais e urbanas; programação tem música, moda e comidas afro-brasileiras

© by Umaitá Pires

Expressões modernas e tradicionais da cultura negra fazem parte da programação do Quilombo Cultural, na Estação Povos do Cerrado, uma das novidades desta quarta edição da Jornada da Cidadania da PUC Goiás. Artistas e empreendedores negros se revezam durante os três dias de programação, realizada na réplica de um quilombo, no Memorial do Cerrado.

As cabanas do espaço se transformaram em pontos de vivência, com exposições fotográficas retratando as religiões de matriz afro-brasileira, o afoxé e a congada. “A ideia foi estabelecer nesse espaço um circuito que faça uma conexão entre culturas negras urbanas e rurais e entre tradição e modernidade”, afirma a profa. Janira Sodré Miranda, uma das coordenadoras da Estação Povos do Cerrado.

Na tarde desta quinta-feira, 25, roda de conversa sobre racismo reuniu visitantes do evento, que compartilharam suas experiências a respeito do assunto. A coordenadora do Centro de Referência Negra Lélia Gonzalez, Iêda Leal, comandou a atividade. Ela ressaltou a necessidade do enfrentamento permanente à discriminação racial visando à ocupação de novos espaços sociais pela população negra.

A resistência passa pela militância, por assumir características como o cabelo black power.  “Precisamos reagir e a reação tem que ser pedagógica: estabelecer o diálogo com essa pessoa [racista] e explicar que temos variadas cores de pele e variados tipos de cabelo e, nem por isso, deixamos de ser negros. Ao contrário: nos reafirmamos ao andar, ao comer e ao nos reconhecer enquanto brasileiros e africanos”, destacou.

Ela também apresentou o livro Educação para relações étnicorraciais, organizado por Iêda, com a colaboração da profa. Janira, na pesquisa e na produção de texto. A obra é voltada para a formação de dirigentes sindicais.

Música e moda

Uma apresentação musical de soul music, com Eli Barretos, do Quilombo Recantos Dourados, de Abadia de Goiás, e de samba, com Thayná Janayna, encerrou a programação do Quilombo Cultural, neste segundo dia de Jornada. De acordo com a Janira, a intenção, ao trazer os artistas para o evento, foi “abrir o palco para pessoas que nem sempre encontram espaço para suas vozes”.

Nos três dias, empreendimentos comunitários e familiares desenvolvidos por pessoas negras também ocuparam os espaços do Quilombo Cultural. Grifes como a Tuya Kalunga e a Nzinga Afro fizeram desfiles e ensaios e comercializaram seus produtos. Comidas típicas da cultura afro-brasileira, como acarajé, também foram vendidas. “É uma primeira experiência e já percebemos uma necessidade de ampliação, pois houve uma forte demanda pela aquisição desses produtos”, informa a coordenadora.

O evento

A Jornada da Cidadania mobiliza mais de 3 mil voluntários: é o maior evento comunitário da PUC Goiás realizado em conjunto com a Arquidiocese de Goiânia, de 24 a 27 de maio, no Câmpus II da universidade, incluindo as estruturas do Centro de Convenções PUC, Memorial do Cerrado e Complexo Poliesportivo.

Com a parceria do poder público, a instituição oferece centenas de serviços e atividades gratuitas nas áreas de saúde, meio ambiente, engenharia, cultura, educação e cidadania durante a programação, que inclui a Feira da Solidariedade e os Jogos Universitários, para a população carente da Região Metropolitana de Goiânia.

O público poderá contar com serviços gratuitos como exames, vacinas, expedição de documentos, assistência jurídica, doação de plantas, entre outros, nos três primeiros dias do evento. No dia 27, a Feira da Solidariedade e o Memorial do Cerrado estarão abertos para visitas.

Programação

A programação do Quilombo Cultural vai até esta sexta-feira (26).

Confira os atividades e os horários:

08h às 12 horas: Vivência no Quilombo: Exposições fotográficas e feirinha afro-étnica

9 horas: Congada 13 de maio

10 horas: Dança Afro-contemporânea – Juliana Jardel

11 horas: Desfile da Grife Moda Nzinga Afro

11h às 17 horas: Especial Alimentos Afro-brasileiros – Comercialização nas cabanas do Quilombo

13 horas: Roda de Conversa sobre Identidade Negra/Oficina de Turbante

14 horas: Especial Hip Hop – Batalha de MCs, BBoys e Bgirls

16 horas: Roda de Samba com Diego Mendes