Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

Escola de Formação de Professores é destaque em dossiê da Anfope

Projeto pedagógico voltado para formação de professores e humanidades é um dos melhores do País. Experiência foi relatada na Revista Formação em Movimento

O projeto pedagógico da Escola de Formação de Professores e Humanidades da PUC Goiás (EFPH) está entre as melhores práticas do Brasil na formação de professores. A experiência da universidade foi divulgada recentemente, na revista Formação em Movimento, da Associação Nacional pela Formação de Profissionais da Educação (Anfope) e integra o dossiê temático Formação do magistério da Educação Básica nas universidades brasileiras: institucionalização e materialização da Resolução CNE/CP n° 02/2015, organizado por Luiz Fernandes Dourado e MalvinaTuttman.

A publicação (que pode ser lida na íntegra aqui) traz 15 textos de diferentes instituições de ensino superior brasileiras que relatam o processo de construção dos projetos institucionais à luz da Resolução CNE/CP 02/2015.

A experiência da PUC Goiás

O projeto pedagógico EFPH faz uma articulação entre ensino, pesquisa e extensão e, como o nome da Escola sugere, é organizado na dimensão das humanidades e, também, na formação de professores. “Foi construído com toda comunidade acadêmica: com fóruns de estudantes, funcionários, docentes e gestores da graduação e pós-graduação. O projeto não pode ser construído pela gestão unicamente. Temos uma série de princípios de ações que entram no cotidiano deste trabalho”, ressalta o diretor da Escola, prof. Romilson Martins Siqueira.

Um dos pontos mais chamativos no projeto é que a licenciatura permite ao aluno construir um caminho: em função do incentivo à pesquisa científica, o estudante pode definir o objeto de estudo de seu interesse ao longo do curso e, nesse processo de investigar e produzir conhecimento, já vislumbra um futuro na pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado). Confira, abaixo, alguns pontos de destaque do projeto.

Diferencial do trabalho

• Para formar o futuro profissional da licenciatura, a Escola possui uma política de formação de professores. Existem 13 disciplinas comuns a todos os cursos que representam o “núcleo” formativo que o estudante precisa para exercer a função de lecionar. Mais do que estudar, o estudante é incentivado a investigar, pesquisar e produzir conhecimento.

• Residência pedagógica: a grade permite ao estudante que, ao final de 4 anos de formação, possa fazer residência na rede pública ou privada. Os melhores alunos são encaminhados para uma escola, contam com suporte de tutoria no campo e, ao mesmo tempo, tem ligação com o professor da rede e o professor da universidade.

• Ponte com a pós-graduação stricto-sensu: na graduação o estudante vai definindo um projeto verticalizado na docência, materializado, no mestrado e doutorado.

• Estudante contemplado (a) com a bolsa institucional do Vestibular Social (que recebe 50% de desconto na mensalidade) vai para a residência, também, como bolsista.

• Grade permite uma segunda licenciatura. Por exemplo: o graduado em Letras pode sair da instituição, também, formado em Pedagogia. Dessa forma, o estudante pode transitar por outras áreas sem perder tempo e as especificidades que construiu. Como o(a) licenciado(a) já é considerado um(a) professor (a), vai apenas aprofundar as disciplinas que ainda não viu e/ou que ainda não tem domínio.

• No último edital da Iniciação Científica, conforme dados divulgados pela direção da Escola, mais de 70 projetos de IC foram aprovados, sendo 27 com bolsa. Para a gestão, esse dado mostra um salto de qualidade na Escola, em função da existência dos Núcleos de Ensino, Pesquisa e Extensão (Nepes), que incentivam o aluno a produzir conhecimento por meio da pesquisa. Esses grupos são interdisciplinares, possuem três linhas de investigação e definem objetos de estudo articulando o tripé ensino, pesquisa e extensão.

• Pedagogia, Geografia, História, Letras e Filosofia são as licenciaturas mais antigas da instituição. Muito da identidade e missão da PUC Goiás foram definidas e construídas ao longo do tempo, em função das propostas desses cursos que formaram os grandes pensadores de Goiás.

• O curso mais recente da Escola de Formação de Professores e Humanidades é a licenciatura em Ciências da Religião apresentada, pela primeira vez, em 2018. A PUC Goiás é a primeira universidade no Centro-Oeste a oferecer esse tipo de curso, que visa atender a uma demanda sobre a atuação do professor de Ensino Religioso na rede pública e privada. O foco do curso não é confessional, mas sim, incentivar o respeito às diversas culturas e religiões.

Mais detalhes sobre o projeto também podem ser conferidos na Revista PUC Goiás, publicada no último mês de outubro, em comemoração ao Jubileu de Diamante da instituição.