Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

Excelência reconhecida

© by Weslley Cruz

Homenagens especiais marcaram a programação do II Congresso de Ciência e Tecnologia da PUC Goiás. Entre elas, a entrega do Diploma do Mérito Científico ao prof. Clóves Gonçalves Rodrigues, da Escola de Ciências Exatas e da Computação (ECEC) da universidade. A condecoração reconhece a contribuição do pesquisador para a produção do conhecimento na PUC Goiás. Formado em Física pela Universidade Federal de Goiás (UFG), o docente fez mestrado na mesma instituição e doutorado e pós-doutorado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Hoje, atua em cursos de graduação da ECEC e no mestrado em Engenharia de Produção e Sistemas. O PUC Notícias conversou com o homenageado. Confira!

HOMENAGEM
Fiquei muito contente com essa premiação e pelo conhecimento da universidade em relação a minha pesquisa. Comecei em 1995, com a publicação do meu primeiro artigo em uma revista científica, quando estava no mestrado. Quando um artigo é publicado em uma revista, é um reconhecimento do valor dessa pesquisa. Agora, ser reconhecido dentro de sua ‘casa’ é até mais importante. Acredito que a homenagem seja um incentivo para os colegas da Escola.

INICIAÇÃO CIENTÍFICA
A carreira do pesquisador começa na Iniciação Científica (IC). Bons pesquisadores tiveram bons orientadores. Tem que saber escolher bem esse orientador para ter um futuro na área. O pesquisador precisa se dedicar bastante às disciplinas do curso (de graduação). Tem que batalhar mesmo. A graduação é muito importante, principalmente a formação inicial. Na área de Ciências Exatas, a nossa base está justamente no primeiro e no segundo ano do curso. Correr atrás do prejuízo, se você faz mal feito, é muito sacrificante. Com uma graduação bem feita, o restante é consequência.

PESQUISAS ATUAIS
Já pesquisei na área de estatísticas e de dinâmica de cristais. Já trabalhei na área de semicondutores. Ultimamente, tenho entrado na área de compostos a base de carbono. Hoje, estou pesquisando sobre dois materiais novos, que têm despertado muito interesse: siliceno e grafeno. Eles têm a mesma estrutura, mas as propriedades físicas e aplicações são diferentes. Podem ser utilizados em condutores, em espécies de lubrificantes, em aplicações óticas e elétricas.

MODELOS TEÓRICOS
Meu laboratório é uma caneta e um papel. Tento elaborar modelos teóricos sobre o comportamento físico desses materiais. A partir deles, você pode ter previsões futuras sem fazer o experimento. Tenho que buscar insights em revistas científicas, o que se está fazendo para buscar resultados experimentais. É uma atualização constante sobre o que está sendo feito. Para os próximos anos, planejo continuar estudando o siliceno e o grafeno.