Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Publicado em:

No Dia do Folclore, Memorial do Cerrado oferece programação gratuita e aberta ao público

Moda sertaneja, cantos folclóricos, oficinas de rapadura, biju e aproveitamento de materiais do Cerrado pautam atividades abertas ao público amanhã, 22, no Câmpus II da PUC Goiás

Um dia de festa para celebrar o Dia do Folclore, comemorado nesta quinta-feira, 22 de agosto, em todo o Brasil, com o intuito de resgatar a importância das tradições culturais, dos conhecimentos, crenças, costumes, danças, canções e lendas dos povos. Nesse contexto, o Memorial do Cerrado da PUC Goiás, eleito o lugar mais bonito de Goiânia em 2008, não poderia ficar de fora dessas celebrações e, para prestar uma homenagem ao conhecimento popular, a universidade abre suas portas amanhã, 22, para o público em geral, das 7h30 às 17 horas, com apresentações culturais e oficinas que ocorrem na sede do Memorial, localizado no Câmpus II da instituição (acesso pela Av. Engler, no Jardim Mariliza).

Esse evento está inserido no calendário da PUC Goiás todos os anos e, para esta edição de 2019, oferece algumas novidades. Uma delas é a presença do Coral de Cantos Folclóricos de Portugal, que estará presente no palco da cidade cenográfica do Memorial durante o turno matutino (a partir das 7h30), para despertar no público um resgate às raízes lusitanas – que têm relação intrínseca à nossa identidade como nação. Pela manhã, também passam pelo palco cantores de moda sertaneja e apresentações escolares.No período vespertino (a partir das 14 horas), grupos de Folia de Reis e de catira chegam ao local para somar ao clima folclórico do ambiente com muita música e dança, reforçando o sentimento de pertença em relação ao estado de Goiás, coração do Brasil.

Para enaltecer ainda mais a relevância da temática do Folclore, atores e atrizes da Coordenação de Arte e Cultura da universidade estarão caracterizados de personagens típicos do Centro-Oeste, trazendo um elemento lúdico para estimular a interatividade com o público. Ao mesmo tempo, as fiandeiras, que além de mostrar seu trabalho artesanal encantam as pessoas com seu canto, ficarão presentes no Memorial o dia todo, para mostrar a beleza das raízes rurais e sua conexão com o passado, daquilo que é transmitido de geração a geração.

Outro destaque da programação são as oficinas gratuitas de rapadura, biju e aproveitamento de materiais do Cerrado, que serão ministradas na fazendinha, também, nos dois turnos, de forma que os visitantes possam colocar, literalmente, “a mão na massa” e aprender aquilo que era de praxe entre os avós, bisavós e antepassados.

Fazendo uma conexão com o mundo da ciência, o Centro de Estudos e Pesquisas Biológicas (CEPB), vinculado à Escola de Ciências Agrárias e Biológicas da PUC, levará animais peçonhentos para exposição na Vila Cenográfica,  com o objetivo de divulgar a relevância da pesquisa científica, mostrando, também, o papel das Ciências Biológicas e sua relação com a natureza e formas de vida.

E, para fechar a programação e celebrar a importância do meio ambiente e estimular a vida sustentável, o Instituto do Trópico Subúmido (ITS), o qual o Memorial do Cerrado está vinculado, fará distribuição de 1000 mudas do Bioma, sendo 500 liberadas pela manhã e, a outra metade, à tarde.

Mais informações sobre o evento podem ser obtidas pelo telefone: 3946-1711/1728.